CADB - volta ao passado

* Por Carlos Roberto Silva do Point Rhema

Muito embora muitos entendam que os descontentamentos da AD Igreja Mãe em Belém do Pará para com a CGADB seja coisa dos últimos 30 anos, a história registra que é coisa muito mais antiga do que se imagina.

No ano de 1.978, mais precisamente em 11 de Abril, motivados por uma invasão em Campo Eclesiástico, algo proibido e muito combatido à época, provocada pelo Ministério de Madureira, que deu apoio ao irmão Geraldo Sebastião Coelho, oriundo de Goianésia - Go, e organizou uma Igreja AD na cidade de Marabá-Pa ao mudar-se para aquela cidade, a Convenção Estadual das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Estado do Pará e oServiço de Evangelização dos Rios Tocantins e Araguaia, decidiram através de resolução conjunta, se desligarem da CGADB, após tentarem de forma pacífica resolverem o problema, sem a devida atenção e nem a solução por parte da instituição maior, conforme alegavam à época.

Abaixo cópia do referido documento, bem como das cartas enviados pelo Pastor Alcebíades Pereira de Vasconcelos aos dois signatários da resolução, os dois presidentes, a saber: Pr. Firmino da Anunciação Gouveia (AD Belém) e Luiz de França Moreira (SETA), onde são repreendidos a permanecerem no seu devido lugar, os quais pelo visto findaram por se conformar, não dando sequência ao rompimento comunicado, lembrando que naquele tempo, sem o advento da internet, onde todos ficam sabendo dos fatos e atitudes em tempo real, era muito mais fácil se voltar atrás de uma atitude assim.

Como os tempos e as coisas mudaram, tanto do ponto de vista das tratativas espirituais, ministeriais e jurídicas, ao que parece desta feita o caso foi muito longe, tornando as decisões irrevogáveis e irretratáveis, no entanto fica claro, que os descontentamentos com o órgão maior por parte da Igreja do Norte, já somavam praticamente 40 anos.

O que muda é que, naquela época o rompimento se daria com todo o Estado do Pará, cuja convenção estadual era presidida também pelo Pastor Presidente da Igreja Mãe em Belém.

Veja os documentos abaixo, que constam como anexo da tese O AGGIORNAMENTO DO PENTECOSTALISMO: as Assembleias de Deus no Brasil e na cidade de Imperatriz-MA (1980-2010) de Moab César Carvalho Costa.   

* Carlos Roberto Silva é pastor da Assembleia de Deus em Cubatão (SP) e presidente da Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo e Outros (Comadespe)








http://www.pointrhema.com.br/2017/12/ad-igreja-mae-em-belem-pa-rompeu-pela.html

Comentários

  1. Então isso de invasão de campos é verdade... Esse modelo de Campo com jurisdição deveria ter sido revisto já nessa época, evitaria divisões na CGADB e a fraguimentação da Assembléia de Deus.

    ResponderExcluir
  2. Li a tese do Pr Moab e é do maior interesse para todos que nos importamos com as AD no nível institucional e, quiçá, espiritual. Junto com o trabalho de Gideon de Alencar, tem me sido gratificante descobrir seus textos e ver que, no nível acadêmico, produz-se intervenções de tal qualidade, trazendo reflexões para que possamos, nem que seja no sentido estritamente pessoal, encontrar caminhos que nos ajudem a ser dignos de nos chamarmos pelo nome de Cristo, Deus Bendito Eternamente, Amém.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Flagrantes da cerimônia de diplomação dos novos bispos em Madureira

As Assembleias de Deus - títulos e honrarias

José Wellington – "não contavam com a minha astúcia"